Clique aqui para saber as Novidades
Dentre as intolerâncias alimentares dos seres humanos, a Intolerância a Lactose é, com certeza absoluta, a mais comum de todas devido a redução na produção de Lactase, enzima que digere s Lactose, durante a vida.

Antes de mais nada é preciso diferenciar as Intolerâncias, das Alergias e dos Erros Inatos do Metabolismo.

  • Intolerâncias: incapacidade parcial de digestão de determinado alimento, geralmente adquirida ou temporária, levando a sintomas como flatulências ou pums, distensão abdominal, eructação ou arrotos, cólicas e diarréia. Ela é quantidade dependente, ou seja, pouco não faz mal e quanto maior a ingesta, maior os sintomas.
  • Alergias Alimentares: geralmente adquirida e podendo levar a sintomas graves como sangramentos intestinais, diarréia, constipação, lesões de pele, crises de falta de ar e morte. Para o alérgico, tanto faz tomar um litro ou apenas algumas gotas do causador da alergia, a quantidade não importa.
  • Erro inato do Metabolismo: a criança nasce com a deficiência na metabolização de uma substância como na fenilcetonúria do Teste do Pezinho. Normalmente, essas substâncias dão sintomas mais precoces e graves que as alergias ou intolerâncias, levando geralmente a atraso de desenvolvimento mental na criança.

Intolerância à Lactose

Praticamente todos os mamíferos se tornam intolerantes a Lactose na vida adulta, simplesmente porque nenhum mamífero adulto toma leite, exceto o ser humano após a domesticação de animais.

A evolução na produção de lactase é a seguinte: nos primeiros 2 meses de vida, a produção aumenta muito rapidamente e mantém um aumento constante até os seis meses de vida. Com o início da alimentação complementar, a produção começa a diminuir progressivamente e após os 4 anos de idade, aproximadamente 70% da população apresenta certo grau de intolerância à lactose.

A frequência muda de região para região do mundo, sendo mais alta nos africanos e asiáticos, e menor nos europeus centrionais (coincidentemente os locais com os melhores chocolates ao Leite). Basicamente, devido a essa grande diferença de frequências, a carga genética é muito importante e filhos de intolerantes tem grande probabilidade de desenvolvimento da mesma intolerância.

Quando Suspeitar

A maioria dos casos apresenta intolerância após os 2-4 anos de vida, mas existem casos de cólicas do lactente prolongadas e que melhoram a introdução de leite isento de lactose.
Os principais sintomas são:

  • Distensão abdominal: barriga estufada e tensa, fica parecendo um tambor quando batemos
  • Formação de gases intestinais como pums e arrotos
  •  Cólica ou dores na barriga: a partir dos quatro meses de vida, junto com as verminoses e a constipação, a intolerância à lactose é uma das principais causas de dor na barriga
  •  Vômitos e diarréia: intermitentes e não associados a febre ou mal estar
  • Algumas crianças são mais espertos que os pais e rejeitam o leite por não se sentirem bem.

Tratamento

O tratamento visa a redução no aporte de lactose em nenhum prejuízo nutricional:

  1. Evitar produto com lactose como leites queijos, requeijão e etc. Idealmente, crianças de 1-2 anos devem tomar menos de 700 ml de lei ao dia e após os 2 anos, a ingesta deve ser reduzida para 400 ml ao dia.
  2. Utilização de produtos com baixo teor de lactose: eu, como intolerante há muitos anos recomendo os produtos da linha ninho ou da Itambé
  3. Utilização de enzimas de digestão do Leite como lactosyl, Perlat e etc vendidos sem receita médica nas farmácias, mas são caros pelo benefício. Existem inúmeros produtos nos supermercados estrangeiros, sempre lembre de comprar ou pedir pra quem viajar ao exterior para comprar e são mais baratos.
  4. Sintomáticos como simeticona ou buscopam ajudam pouco pois não tratam a causa.

Dr. Christian Helfstein

CRM/SP 119.947

2 comentários sobre “Intolerância à Lactose

  1. Bom dia
    Temos 2 tipos de intolerância a lactose, congênita quando a criança nasce e a adquirida.
    A mais comum é a adquirida causada por doença temporária intestinas como virose, a congênita é raríssima e não compatível com a vida se não utilizar outro leite … Pois todos os leites são baseados em lactose e essa criança não digere nenhum leite.
    Existe uma redução em 80% da população de lactase que digere a lactose após os 3 anos de idade.
    O primeiro pediatra estava errado e a gastropediatra deveria ter investigado a cólica pois não é normal em menores de 1 ano.
    Eu tentaria reduzir bem as mamadas a 2 a 3 ao dia por 15 dias.
    Se melhorar, a causa é lactose, se não melhorar, terá que investigar melhor.
    Pode continuar mamando ao seio sem alterações na sua dieta
    Abraços

    Curtir

  2. Qual exame que detecta intolerância em menores de 1 ano? Meu filho com suspeita fez o teste de intolerância a lactose congênita o qual deu positivo. O pediatra recomendou usar leite sem lactose e inclusive eu q ainda amamento não ingerir nada de lactose. Ao levar meu filho em uma gastropediatra a mesma disse q esse teste nao quer dizer que ele tem intolerância nesse momento e sim que terá em alguma fase da vida dele, mandou então dar leite normal e q eu podia me alimentar normalmente também que nada interferia que mei leite por si só possui muita lactase. Estou dando leite normal, aparentemente ele está bem mas cobtinua com muiito gases constantemente…. O q fazer?

    Curtir

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s