O tratamento desse distúrbio basicamente visa retirar a associação errônea relacionada ao sono da criança, ou pelo menos mudar a associação para um objeto ou situação que dependam somente da criança. Permitindo que a criança inicie e mantenha o sono sozinha, sem a necessidade participação de ninguém.

O processo todo de tratamento demora aproximadamente 7 dias, sendo os três primeiros bem cansativos, por isso aconselho o inicio do processo em fins de semana ou feriados.

Existem dois processos básicos, a Retirada Rápida e a Retirada Gradual, ambos devem ser realizados apenas após os 3 meses (limite para auto obtenção sono pleno por toda noite), mas preferencialmente após os 6 meses:

Retirada Rápida.

Extinção abrupta da associação, com a colocação da criança no berço para dormir, no horário habitual, sonolenta mas acordada, e então, sistematicamente ignorar a criança até determinada hora da manhã seguinte. Mais chocante tanto para a criança como para os pais, mas apesar da tendência de maior intensidade do choro, a duração em dias é muito menor. Raramente é socialmente aceito ou feito corretamente pelos pais.

Retirada Gradual.

Exatamente o mesmo processo da Retirada Rápida, com a colocação da criança no berço para dormir, no horário habitual, sonolenta mas acordada, e então, ignorar a criança mas por um período determinado, de no mínimo 30 segundos (preferencialmente 1 minuto). Esse intervalo é determinado na maioria das vezes pela ansiedade dos pais.

Existe uma regra prática que é a de um minuto para cada ano de vida da criança. Quando os pais se dirigirem a criança, preferencialmente não pegar no colo, dizer palavras confortantes e sair do local, mesmo se o choro continuar. Todo esse processo deve levar no máximo 15-20 segundos.

Repetir esses atos a cada intervalo, preferencialmente se afastando a cada retorno.

Por exemplo:

1º ida: pega no colo, beija, diz “boa noite e sonhe com os anjinhos” e saia.
2º ida: não pega no colo, beija, diz “boa noite e sonhe com os anjinhos” e saia.
3º ida: não pega no colo, não beija, faz carinho com a mão, diz “boa noite e sonhe com os anjinhos” e saia.
4º ida: não pega no colo, não beija, não faz carinho com a mão, diz “boa noite e sonhe com os anjinhos” ao lado do berço e saia.
5º ida: não pega no colo, não beija, não faz carinho com a mão, diz “boa noite e sonhe com os anjinhos” de longe e saia.
6º ida: provavelmente a criança já está mais calma, com choro ão durando o intervalo de retorno. Você ficará aguardando,aguardando e pronto, Ela Dormiu …

Em Crianças maiores pode ser mais fácil, como só trocar a associação (mamar, colo) por bicho de pelúcia, naninha e etc, mas se ela já estiver na caminha, você terá que conter a saída do quarto com alguma coisa, como portão de escada, ou permanecer ao lado da caminha, mas completamente quieta, como se não estivesse lá, respeitando os intervalos.

O Índice de Eficácia é maior que 90% se for bem feito …

Boa Sorte!!!

Dr Christian Helfstein

Médico Pediatra – CRM/SP 119.947

Limeira/SP