Antigamente, na época de nossos Avós, a Introdução de Alimentos aos Bebês era muito mais precoce e eu já conheci muitos casos em que os Avós de meus Pacientes comeram o primeiro caldo de feijão ou a primeira polentinha antes dos 2 meses de vida.

Naquela época, além da ausência de todo o conhecimento científico atual, ainda ocorria a falta de opção aos Pais cujos filhos não podiam, por qualquer motivo, serem amamentados ao seio por período prolongado e eles não tinham nenhuma opção exceto o Leite de Vaca Integral que mesmo eles, na sua inocência, colocavam água antes de dar ao Bebê por perceberem que o Leite de Vaca não parecia fazer tão bem à criança.

Atualmente sabemos que a melhor janela para a introdução de alimentos sólidos ou não lácteos é entre os 5 e os 11 meses de vida, ocorrendo aumento na alergia nos menores de 5 meses, e entre os maiores de 11 meses ocorre dificuldades na deglutição e novo aumento nos índices de alergia, principalmente ao glúten.

Existem Consensos orientado a introdução dos alimentos porém cada cultura ou País tem as suas particularidades e cada Família dependendo de suas experiência pregressas também acaba desenvolvendo o seu. Nesse e em todos os textos correlatos, eu estarei descrevendo o meu método pessoal com a sequência, dicas, ingredientes, idades e jeitos que considero mais adequadas as famílias brasileiras normais com pais e mães que trabalham e que além de qualidade na alimentação, também buscam praticidade.

As restrições alimentares nos primeiros anos são as seguintes:

  • Nada além de leite materno ou fórmulas em menores de 4 meses
  • Legumes e frutas somente em maiores de 4 meses
  • Carnes e Ovos somente em maiores de 6 meses
  • Açúcar e industrializados apenas em maiores de 2 anos, mas se conseguir até 1 anos já está de bom tamanho.

Meu Esquema Pessoal

A partir do momento em que iniciamos a introdução dos alimentos, que deve ocorrer em um acordo entre os Pais e o Pediatra, as novas refeições entram para substituir as anteriores, portante devemos retirar a mamada daquele horário e evitar dar leite, inclusive materno, no intervalo de pelo menos 01 hora antes e depois do alimento, para que ela esteja com fome, absorva o FERRO do alimento e não crie um mal hábito.

Procure criar rotinas saudáveis ao ensinar seu filho a comer, dando as refeições em local adequado e seguro (cadeirinha ou o booster que são baratos e podem ser usados até 6-8 anos de idade), com ele sentado, evitando o colo, ter muita paciência e insistência no inicio. Sempre checar a temperatura da papa de sal e lembrar de lavar as mãos da criança e as suas antes de iniciar a refeição (ou pelo menos passar álcool gel).

Em relação aos utensílios, utilizar colher de tamanho adequado que pode ser metálica ou de plástico, sempre oferecer os alimentos no prato ou potinho da criança, evitando dar alimentos que estejam em nossas mãos ou nossos pratos, ensinando o seu filho que ele pode comer o que estiver em seu prato e não a comida que estiver com outras pessoas. Isso evitará que seu filho fique pedindo alimentos que não são apropriados a idade dele.

A idade de introdução que eu gosto é a seguinte:

  • Bebês amamentados ao Seio: inicio após os 6 meses com frutas, legumes, carnes e ovos.
  • Bebês em uso de Fórmulas ou Mamadeira: inicio das frutas e legumes aos 4 meses e as carnes e ovos após os 6 meses
  • Opção dos Pais: muitos pais querem iniciar a alimentação aos 4 meses devido ao termino da licença maternidade, desejo de oferecer algo ao filho ou simplesmente para libertar um pouco a mãe da tarefa de amamentar.

Os diferentes alimentos (frutas, legumes, vegetais e etc) devem ser inicialmente dados em separado, sempre amassados com garfo ou raspados com a colher, persistindo por algumas refeições para que a criança se acostume com o sabor, pois são necessárias 5-10 tentativas com cada alimento até a completa aceitação. Seja insistente e não desista nas primeiras tentativas.

Geralmente é mais fácil iniciar a introdução de novos sabores através de sucos de frutas (das mais variadas), inclusive com a introdução progressiva de legumes que estarão presente nas papas de sal (laranja com cenoura/beterraba e etc).

Por conta da baixa aceitação inicial de algumas crianças, suas mães as “ensinam” que a cada rejeição de um novo alimento, ela terá como recompensa imediata o tão querido leite materno ou a mamadeira. Isso é completamente errado!!! Deve-se iniciar a refeição 30 minutos antes do horário da próxima mamada, pois assim, no caso de rejeição, será respeitado o intervalo de pelo menos 30 minutos até o oferecimento de outro alimento, evitando a criação de mal hábito.

Lembre-se: Cada criança tem o seu próprio ritmo e os Pais também.

Seja insistente e ao mesmo tempo pacientes.

Todos os tipos de alimentos podem ser dados aos Bebês, tanto frutas como legumes, folhas, cereais e carnes, respeitando apenas as diferentes idades de introdução e principalmente a consistência pastosa grossa que deve ser alcançado no inicio da introdução dos alimentos.

Eu dou preferência aos Alimentos da Época por apresentarem menor quantidade de agrotóxicos e adubos químicos, além de apresentarem maior teor de nutrientes como vitaminas.

Por falar em vitaminas, os alimentos frescos apresentam maior teor de vitaminas e apesar da crendice popular, os alimentos congelados mantem a mesma quantidade de vitaminas após o descongelamento.

1ª Etapa – Introdução da Fruta

As frutas são inicialmente introduzidas nos “lanches” da manhã e tarde no lugar do seio ou mamadeira.

  • Suco de Fruta:
    • O Suco de fruta deve ser sempre natural, utilizando-se frutas adocicadas e pouca água, com ou sem legumes, e principalmente sem açúcar.
    • Não devemos oferecer mais de 100 ml/dia com o mínimo de água.
  • Papa de Fruta
    • A Papa de Fruta consiste em frutas raspadas com a colher, amassadas com o garfo ou mesmo batidas com mixer ou liquidificadores até a consistência de um purê.

As mesmas frutas, tanto no suco como na papa, não devem ser repetidas mais de 2-3 vezes por semana, preferencialmente em dias não consecutivos.

Pode ser dado qualquer tipo de fruta nas papas ou nos sucos de frutas, sendo o primordial a variedade. Tanto faz se for utilizada laranja pera ou lima, banana maçã ou nanica ou prata, e etc. Sempre aconselho os pais a comprarem frutas que os estimulem também a comer junto com a criança.

A partir de agora, sempre oferecer água filtrada durante o dia, se ela ainda não era oferecida. A quantidade quem decide é a criança.

Com o passar do tempo em algumas crianças devemos acrescentar o suco de fruta ou a papa de fruta como sobremesas, e isso ocorre em duas situações: para evitar sobremesas pouco saudáveis e nas crianças em que os lachinhos estão atrapalhando as refeições principais.

2ª Etapa – Introdução Primeira Papa de Sal

A preparação da primeira papa de um Bebê é, muitas vezes, um evento familiar com todos querendo opinar e participar. Pode ser primeiro o almoço ou o jantar em substituição ao leite.papa

Preferencialmente os legumes devem ser amassados separados e oferecidos de maneira variada para que a papa seja aceita de maneira homogênea.

Não passar na peneira e nem bater no liquidificador.

Todos os legumes e verduras podem ser dados após os 4 meses de vida enquanto todas as Carnes e o Ovo Inteiro pode ser dados após os 6 meses de vida. A variedade é a chave da alimentação da criança e garante a criação de um hábito alimentar saudável.

Muitas crianças pequenas cansam e querem dormir logo após ou durante a refeição, não se preocupe que isso é normal, apenas respeite um período de 10 – 15 minutos na vertical antes de deitar-lo para evitar vômitos ou regurgitações.

Temperos somente Naturais: só pode colocar óleo/azeite (aumentam intervalo até a próxima refeição), sal, cebola, alho e ervas naturais como salsinha, cebolinha e etc

Lembre-se: Papa tem pouca água, Papa não é Sopa. Se você virar uma colher com Papa, ela deve permanecer grupada na colher.

3ª Etapa – Papa de Sal no Almoço e Jantar

Pode-se repetir a papa do almoço no jantar desde que colocada em geladeira. Toda comida que entrar em contato com a boca do Bebê ou com os talheres que foram a boca devem ser consumidas ou desprezadas imediatamente.

Geralmente são mortos de fome nessa idade, principalmente entre 8 e 12 meses.

Por questão de praticidade ou necessidade, muitas pessoas optam por congelar em potes individuais:

  • Isso ocorreu comigo e minha esposa, pois ambos trabalhamos e fazíamos papa a cada 10 – 15 dias e congelávamos potinhos com diferentes variações nos ingredientes.

Se necessário, pode-se dar uma terceira papa pelo menos 2-3 horas antes da criança dormir para que a criança fique mais satisfeita e não tome LEITE demais. Isso ocorre geralmente com crianças que frequentam escolas ou creches onde os jantares ocorrem geralmente as 16 horas.

Na minha opinião, o Leite Materno e a Mamadeira devem ser restritos e não estar disponíveis a todo momento que a criança quiser:

  • Evite dar mais de 3 mamadeiras ou seio por dia a partir de agora (máximo 750 ml de leite até os 2 anos).
  • Seu filho DEVE COMER muito mais do que MAMAR a partir de agora.
  • Nessa idade, a criança NÃO necessita mais mamar de madrugada, se ela ainda mama é por mal costume, apenas para dormir.
  • Deve dormir a noite toda sem mamar (clique para saber como)

4ª Etapa – Transição para Alimentação da Família

A partir dos 9 meses de idade iniciamos a transição para a alimentação da família, apenas cortando a corte ou componentes mais duros em pedaços pequenos ou no formato de tiras para serem comidos com a mão. Nessa fase, a maioria das criança não engasga com pedaços, mas a transição deve ser feita com cuidado.

frutas da épocaNo geral, nessa fase começamos com as besteirinhas de bebês como biscoitos de polvilho, bolachas de maisena ou maria, bolachas cream cracker e água e sal, além de biscoitos e pães integrais. Existe ainda a possibilidade de darmos gelatina (Dr Oetker “Minha Gelatina) sem açúcar ou corantes além de sorvetes ou smoothies preparados em casa com suco de fruta também sem açúcar.

Sempre dar preferência para os alimentos de época por conterem menos agrotóxicos e pesticidas, além de maior teor de vitaminas e sais minerais e mais SABOR!!!!

Após essa fase relativamente tranquila e faminta da introdução alimentar, as crianças se transformam, perdem o apetite e o interesse pela comida em geral.

Clique Aqui para saber como a alimentação das crianças se transforma entre 1 e 2 anos

Abraços

Dr. Christian Helfstein – Pediatra

CRM/SP 119.947 – Limeira/SP

youtube-banner-wpBanner - telemedicina

 

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s