Clique aqui para saber as Novidades

A tosse é um dos sintomas mais comuns nas crianças e pode ocorrer em consequência das mais diversas doenças, sejam infecciosas como gripes, resfriados, bronquiolite, sinusite e otite; alérgicas como asma ou bronquite, rinite sinusite; reacionais como nos bebês chiadores ou lactentes chiadores e por mania ou brincadeira, como ocorre nos bebês ao redor dos 4-6 meses que tossem para brincar e nas crianças maiores que apresentam tosse apenas quando alguém presta atenção, sem tosse durante o sono ou brincadeiras.

As queixas de tosse, febre e vômitos com diarréias totalizam quase 80% das consultas em pronto socorros, pronto atendimentos e encaixes em consultórios e apesar de toda essa preocupação, as tosses na maioria absoluta dos casos (90-95%) estão relacionadas a doenças infecciosas de cura espontânea ou quadros alérgicos descontrolados ou não diagnosticados.

Então fiquem tranquilos e aprendam que tosse, assim como febre e vômitos com diarreias não são os bichos de sete cabeças que quase todo mundo acha.

youtube banner WP

O que é a Tosse?

A Tosse é um mecanismo de defesa desenvolvido por muitas espécies  durante a evolução para proteção do pulmão e vias aéreas inferiores tanto de engasgos como de agentes irritativos como vírus, bactérias ou substâncias causadoras de alergia, entre outros.

Para evitar a contaminação de nossas vias aéreas por esses agentes, o nosso corpo desenvolveu inúmeros mecanismos de defesa desde o nariz com seus pêlos, muco e aumento da umidade do ar, a garganta com a amígdala e a adenóide que são mecanismos importantes da imunidade, a epiglote que impede a entrada de líquidos ou sólidos dentro de nosso pulmão e o pulmão propriamente dito com seu muco e movimentos ciliares (vassourinhas) que empurram dejetos em direção à garganta para deglutirmos.

A tosse ocorre quando todos esses mecanismos falham …

A duração média da tosse é de 7 dias nas crianças, mas até 15 – 20 % ainda tem tosse após 20 dias e alguns autores consideram normal que a tosse seja quase continua nos meses frios e secos do ano. Eu acho bom investigar toda tosse com mais de 14-20 dias.

Quais são as Causas?

As causas mais comuns são as alérgicas e as infecciosas de pouca gravidade e geralmente com resolução espontânea ou rápida após a utilização de medicamentos.

  • Infecciosas em ordem de frequência:
    • Resfriados: tosse, dor na garganta, coriza clara e sem sintomas sistêmicos como febre, falta de apetite ou de vontade de brincar – Duração: 3-7 dias
    • Gripes: febre, tosse, coriza ou secreção nasal e sintomas sistêmicos como mal estar, dor no corpo, falta de apetite, sonolência e etc. – Duração: 7-14 dias
    • Bronquiolites: ocorre mais entre março e julho acometendo quase todos os bebês menores de 2 anos de idade com chiado no peito, coriza, tosse, às vezes febre e 5% evoluem para quadros mais graves com cansaço  – Duração: 10-14 dias.
    • Otites ou infecções de ouvido: pode ser causados por vírus ou bactérias, mas geralmente são consequência de um quadro gripal prévio. Classicamente dão febre, tosse, coriza purulenta, dor no ouvido ou sensação de entupimento e pode ocorrer saída de secreção do ouvido nos quadros mais graves – Duração: 7 dias
    • Sinusites: podem ser causados por vírus ou bactérias, mas pode ser de origem alérgica também. Sempre consequência de um quadro gripal e necessariamente a criança deve ter de 7-10 dias contínuos de secreção purulenta nasal visível, verde ou amarelada. Duração: 7-14 dias após tratamento
    • Pneumonia: a mais rara das causas infecciosas de tosse, apesar de ser extremamente comum mães referirem o diagnostico de Pneumonia em pronto socorros. Respirem fundo e vamos lá: A pneumonia é rara e a maioria das pessoas nunca terá sequer uma pneumonia na vida! Quadros repetidos de “Pneumonia” geralmente são secundários a crises de ASMA. Aliás, existem as pneumonias bacterianas e as virais sendo o segundo tipo o mais comum e não demanda o uso de antibióticos. Duração: 7 dias após o tratamento, se for necessário.
  • Alérgicos ou Reacionais em ordem de frequência
    • Rinites: junto com os Resfriados são as principais causas de tosse nas crianças. Hoje em dia, a Rinite Alérgica afeta de 20-40% das crianças, sendo a maior parte 80% perenes com exacerbações. Os sintomas são coriza (águinha) frequente, tosse mais seca, coceira no nariz ou garganta, pigarro espirros. Duração: enquanto não for tratada adequadamente.
    • Lactente Chiador: ocorre em menores de dois anos e é uma definição teórica: crianças após o terceiro episódio de chiado no peito. É basicamente causado pelas sequelas pulmonares temporárias devido à uma Bronquiolite pelo Vírus Sincicial Respiratório. Tem tendência de cura espontânea, mas uma grande porcentagem demanda tratamento com bombinhas iguais as de asma. Duração: enquanto não for tratada adequadamente.
    • Sinusites Alérgicas: consequência de rinites não cuidadas. Acrescentamos aos sintomas tosse mais noturna, dor de cabeça (crianças grandes) e duração mais prolongada do quadro.
    • Asma ou Bronquite: ocorrem em até 10% das crianças após os 2 anos de idade. Sintomas são tosse seca – principalmente ao brincar, correr, pular ou dar gargalhada, falta de ar, chiado no peito e quase sempre (75%) tem sintomas de Rinite associados. Duração: enquanto não for tratada adequadamente, as vezes com bombinhas.
    • Substâncias Nocivas: a principal é a fumaça do cigarro, mesmo no fumo passivo e se ele tiver ocorrido fora de casa ou longe da criança, essas substâncias ficam impregnadas em roupas, boca, nariz e cabelos levando à tosse. As outras são fumaça, perfumes ou produtos de beleza como cremes ou repelentes, produtos de limpeza (usar álcool sem cheiro), mofo e poeira.

Tipos de Tosse

  1. Tosse Cheia ou com Roncos: o tipo mais comum de tosse sendo causado basicamente por gripes e resfriados. Ela na realidade tem pouca secreção, o que ocorre é que devido ao quadro inflamatório gerado pela infecção, o nosso corpo reage com edema da via aérea, aumento e engrossamento das secreções normais e aparecimento de secreção em alguns dias.
  2. Tosse com Catarro ou Saída de Secreção: ocorre na fase média da gripe ou resfriado e na sinusite bacteriana com saída de grandes quantidades de secreção nasal ou na tosse com a criança chegando até a engasgar por conta desse bolo de catarro. Piora à noite principalmente em crianças que não limparam adequadamente o nariz durante o dia, deixando acumular grande quantidades de secreção na parte de trás do nariz
  3. Tosse Seca: ocorre nos quadros associados a irritação ou pouca coriza aquosa como nas rinites e sinusites alérgicas e na fase final irritativa da gripe ou resfriado.
  4. Tosse com Chiado: parece uma tosse seca mas ocorre geralmente após esforços físicos, à noite e pode vir acompanhada de cansaço (vide nariz que abre e fecha, buraquinho no pescoço e retração debaixo das costelas). Causado pela asma, bronquite, bronquiolite e em lactentes chiadores.
  5. Tosse em Acessos: se a crise de tosse for prolongada a ponto da criança ficar pálida,  roxa ou fazer um guincho ou um barulho bem fino e agudo, ela deve ser levada ao pronto socorro para avaliação pelo risco de Coqueluche, Bronquiolite ou Gripe Grave (pneumonite). Crises mais leves são causados por obstrução nasal por falta de limpeza, gripes e resfriados, rinites e chiado no peito (asma ou bronquiolite).
  6. Tosse de Cachorro ou com Rouquidão: causada por laringite levando a crises de tosse de cachorro com ou sem rouquidão associada. Geralmente é viral, mas pode evoluir com gravidade principalmente se o inicio for súbito e estiver associado a inchaço nos olhos ou boca. Observar cansaço (vide nariz que abre e fecha, buraquinho no pescoço e retração debaixo das costelas).

Tratamento da Tosse

A maioria dos quadros de tosse não demanda nenhum tipo de tratamento específico e muito menos medicamentoso. Cada uma das causas acima pode ser acessada individualmente clicando em cima e terá o tratamento específico descrito. Abaixo estão todos os tratamentos, sejam recomendados ou não, da tosse.

  • Higiene Nasal com Soro Fisiológico: mais importante tratamento já que a maior partes dos quadros afeta o nariz e em uma idade onde a maioria das crianças ainda não sabe assoar o nariz. Existem modelos com conta-gotas, sprays e jatos pressurizados, eu gosto das duas primeiras opções. Lembre-se que é necessário limpar muitas vezes ao dia.
  • Inalação com Soro Fisiológico 5 ml: assim como a higiene nasal, a inalação serve para todas as idades, principalmente nos pequenos, e é o tratamento básico de gripes, resfriados e bronquiolites, principais causas de tosse nos menores de 2 anos de idade. Não existe limitação em relação ao números de vezes que pode ser realizada.
  • Descongestionantes: eles podem ser utilizados desde por períodos curtos devido a dependência causada ou rinite medicamentosa. Pode sem tópicos ou de uso nasal como a oximetazolina (afrin, aturgyl, rinidal, resfrin, oxifrin) e sistêmicos como a fenilefrina ou pseudoefedrina (Decongex plus, Polaramine Expecto, Claritin D, Alegra D, Desalex D, Tylenol Sinus e etc), sendo os primeiros mais recomendados pelo menor risco de arritmias cardíaca (meu filho fez com Decongex Plus). Utilizar baixa dose, poucos dias (menos de 5 dias) e somente à noite é o segredo.
  • Anti alérgicos: melhoram 100% das Rinites e 30-40% das gripes e resfriados, mas no caso das gripes e resfriados, os antialérgicos mais antigos tem melhor efeito como a dexclorfeniramina (histamin e polaramine) ou o cetotifeno (asmifen). Para as Rinites, devido a duração do tratamento ser mais longa, damos preferência a melhores posologias como loratadina, desloratadina, fexofenadina e cetirizina (ordem crescente de potência)
  • Expectorantes: nenhum é recomendado de rotina, mas estudos demonstram que apenas a acetilcisteína tem efeito positivo, mas é claro, somente nos casos de secreção ver ou amarelada visível. Carbocisteina, ambroxol, guaifesina, e todos os fitoterápicos como phytos e etc não devem ser utilizados.
  • Broncodilatadores: utilizados nas asmas, bronquites e nos bebês chiadores. Podem ser inalatórios, via inalação – berotec e salbutamol ou bombinhas – salbutamol e raras vezes formoterol, ou xaropes como salbutamol, terbinafina, aminofilina e etc
  • Antitussigenos: como a levodropropizina como Antux e Percof não são recomendados pois eles inibem um reflexo de proteção de nosso corpo à agressão. Para utilizar esses medicamentos, o médico deve ter certeza absoluta de que não se trata de um quadro infeccioso e infelizmente não existe nenhum exame que comprove isso.
  • Naturais:
    • Mel: melhor expectorante nos maiores de 1 ano de idade. A dose é uma colher de chá varias vezes ao dia.
    • Vick Vaporub: uma associação de Mentol + Cânfora + Óleo de Eucalipto e que alivia a tosse noturna se aplicado no peito e nos pés antes de dormir.

Resumindo

A tosse é muito comum na infância e não deve ser motivo de estresse em ninguém já que a maior parte dos quadros (95%) são doenças leves e de fácil tratamento.

Devemos observar a frequência (

Um Pediatra deve ser consultado na ocorrência de situações de risco:

  • Cansaço ou falta de ar
  • Palidez ou cianose – pele roxa
  • Duração maior de 20 dias
  • Tosse com catarro por mais de 7 dias
  • Tosse recorrente = mais de 6 episódios ao ano
  • Ausência de ganho adequado de peso ou perda rápida de peso

O tratamento básico é higiene nasal e inalação com soro fisiológico para menores de 1 anos, sendo associado o mel e o vick vaporub nos maiores. Dos expectorantes, eu gosto da acetilcisteina e dos anti alérgicos, eu gosto da dexclorfeniramina para gripes e resfriados, e da cetirizina para a alergias, além dos sprays de corticoide como  a Budesonida (eu uso esse), Nasonex (meu filho usa, melhor para crianças) e Avamys.

Sempre que seu filho tiver alguma doença de curso prolongado como rinite, sinusite, asma, bronquite, laringite ou é bebe chiador, você deve solicitar ao seu Pediatra o tratamento inicial do quadro para que você possa inicia-lo por conta própria, evitando consultas desnecessários em pronto socorros e encaixes.

Dr. Christian Helfstein – Pediatra

CRM/SP 119.947 – Limeira/SP